terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Balanço do ano de 2010

Mais um ano chega ao fim, deixando boas memórias no que ao Slotcar Racing diz respeito.
Vou fazer o balanço da minha actividade slotista de 2010, dividindo as minhas “vistas do interior” por várias partes, tentando ser o mais abrangente e objectivo possível.

AESlot Club

O meu Club do coração organizou, sempre por minha iniciativa e com a colaboração próxima dos associados que constituem o “Núcleo Duro”, seis campeonatos, entre as escalas 1:32, 1:28 e 1:24, e participou em quatro campeonatos Interpistas, estes formados por provas individuais e por equipas.

Ao todo, participei em sessenta e duas provas de velocidade que decorreram maioritariamente no AESlot Club, mas também em outros locais próximos (SCCL, Slot Model Racing, Speed SlotCar Mafra, Adrenaline, RGP Slot Center).
Ganhei algumas (poucas)… perdi a maioria, mas diverti-me bastante.

Provas “Grandes”

Além do referido no espaço anterior, participei em algumas provas ditas “Grandes”. Destas destaco as 24 Horas do Porto, onde me desloquei com a equipa SCCL Sem Stress. Com uma prova plena de problemas, nomeadamente de pneus e luzes, não conseguimos fazer melhor do que no ano anterior, isto apesar de uma qualificação bastante interessante nos permitir rodar junto aos mais rápidos.

Participei ainda, desta vez com a equipa do AESlot Club, nas 24 Horas do Estoril. Prova realizada nas esplêndidas instalações do Centro de Congressos do Estoril que tarda em ter o apoio merecido das equipas portuguesas de Norte a Sul do país. Prova com muito poucas equipas participantes, valeu sobretudo pelo convívio, pelo snack nocturno oferecido pelo Hotel Palácio, e pelo facto de ficar a dois passos de minha casa.

O AESlot Club, o Slot Car Clube de Lisboa e o Speed Slot Car Mafra decidiram, aproveitando o apoio do distribuidor do material PN Slot, papponni, e a facilidade de montagem e afinação dos chassis da referida marca, dar início a uma colaboração que tinha como objectivo a organização de campeonatos à escala 1:28 a que se chamou InterClubes 1:28. Até agora já se realizaram dois campeonatos e ainda estamos a ultimar o terceiro. Os primeiros, muito participados, recorreram a carroçarias do Renault Mégane Trophy – este tendo sido um campeonato individual – e a carroçarias de modelos GT – um campeonato por equipas ao género de mini-resistências. O último, que ainda decorre, usa modelos de Grupo C e à semelhança dos anteriores, tem dado corridas verdadeiramente espectaculares. Este é, sem dúvida um formato a continuar.

Deixo para o fim aquele que é, na minha opinião, o Campeonato mais importante que alguma vez tive a responsabilidade de organizar. Trata-se do ResisTejo, campeonato de resistência por equipas que passa por todas as pistas e clubes que demonstraram interesse em participar. O campeonato que terminou este ano, tendo começado em 2009, recorreu aos belíssimos modelos clássicos da NSR e decorreu de forma muito agradável a todos os níveis. Este ano já se iniciou a terceira edição que, até agora, tem demonstrado uma grande adesão por parte das equipas participantes, além de se revelar o mais competitivo dos últimos tempos.

Rally

Este ano decidi aventurar-me por outros pisos e outros modelos e realizei algumas provas de rally. Comecei por participar num rally na JP Racing, tendo, curiosamente, terminado no mesmo sítio as provas de rally em 2010. Daqui, e sem qualquer desprimor para os restantes organizadores de rallies, tenho de realçar a extrema qualidade e beleza dos troços de rally que a JP Racing nos apresenta.

Pelo meio participei no Campeonato de Rallies em terra que o Oeste Slot Center organizou, tendo obtido alguns resultados de destaque para um principiante. Ganhei, por exemplo, o campeonato de WRC 1:24, utilizando o meu Peugeot 307 WRC da Avant Slot.

Participei ainda na prova inaugural na Liga dos Amigos de Alenquer organizado pela Cartamotorsport e, mais para o fim do ano, desloquei-me a Mafra para participar nos rallies organizados pelo Speed SlotCar Mafra.

Futuro

O ano difícil que se avizinha vai ter, certamente, reflexos na organização de provas pelos diferentes espaços que habitualmente frequento. Acho que, se queremos manter vivo o nosso hobby, todos teremos de fazer um esforço adicional, apoiando os espaços que organizam as provas e que vão lutar por continuar a organizá-las.

Na parte que me toca, continuarei a organizar as provas no AESlot Club, a colaborar activamente a manter em funcionamento o InterClubes 1:28 e em propor a quarta edição do Resistejo, tentado que ele seja ainda mais abrangente do que tem sido.

Continuarei também a participar em alguns rallies, talvez menos que neste ano, mas farei o esforço por me deslocar aos espaços que os propõem.

Quanto a provas de 24 Horas… logo se vê.

Conclusão

Foi um ano que, no que respeita o Slotcar Racing, passou muito rapidamente. Muitas provas, muita conversa, muita brincadeira saudável, grandes amizades, poucos aborrecimentos. Espero que o de 2011 seja, pelo menos a este nível, igual ao que passou. Eu comprometo-me em fazê-lo melhor… mesmo com a crise, vou tentar fazer melhor.

Um Bom Ano de 2011 para todos.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

ResisTejo 2010

Com a realização da terceira prova, no passado dia 11 de Dezembro no Speed SlotCar Mafra, o ResisTejo 2010 atingiu a sua fase medial.

Desde a primeira prova que o equilíbrio entre as diferentes equipas tem sido o aspecto a destacar. De facto, podemos notar já a existência de três grupos: os da frente, os do meio e os do fim. Ao fim ao cabo, tal como acontece na realidade do automobilismo desportivo.

As constantes lutas entre as equipas que compõem cada um dos grupos são um constante motivo de interesse e trazem uma "vida" ao campeonato que nos faz ficar sempre à espera da próxima prova para vermos se conseguimos subir um lugar, apanhar os que estão logo acima ou defender estoicamente o lugar conquistado com esforço e com treino.


Três equipas lutam afincadamente pele primeira posição: Adrenaline, SCCL/Proslotcars.com e RGP Slot Center; a Slot Model Racing 1 parece estar confortavelmente no quarto lugar; depois mais quatro equipas lutam pelo quinto posto: SCCL Sport, SCCL Sem Stress, AESlot Club Racing e Slot Model Racing 2: a equipa AESlot Club Motorsport está de pedra e cal na nona posição; a seguir temos mais quatro equipas a lutarem pelo décimo posto: Speed SlotCar Mafra 2, SCCL VIPs, Academia Slot Clube/Adrenaline e Slot Model Racing 3; finalmente, com uma falta a uma prova por motivos inadiáveis, a Speed SlotCar Mafra 1 queda-se pelo décimo quarto posto.

Temos campeonato até à última curva da última prova.


A prova do passado sábado encontrou um novo vencedor, o terceiro em outras tantas provas. Trata-se da equipa Adrenaline que logrou alcançar a primeira vitória, um feito que já perseguia e merecia há muito. Os dois restantes lugares do pódio foram para os "suspeitos do costume": RGP Slot Center e SCCL/Proslotcars.com.

A minha equipa, AESlot Club Racing, desta vez constituída apenas por mim e pelo Davide Santos, conseguiu, finalmente, realizar uma prova sem problemas, facto que foi premiado com o quarto lugar final e que, aproveitando uma tarde menos boa dos nossos mais directos adversários, nos fez subir um lugar na classificação geral.


Vamos ver como nos vai correr a próxima prova, a realizar no dia 8 de Janeiro no RGP Slot Center. Vontade de fazer melhor não falta e não só a nós... já ontem à noite fui dar uns tirinhos a São Domingos de Rana numa expedição exploratória e lá encontro adversários directos a fazer a mesma coisa: Slot Model Racing 2 e SCCL Sport.

Isto promete.


O que também promete, ou melhor, tem prometido e cumprido desde o início do campeonato é o ambiente que se tem vivido dentro e fora da pista. Respeito, amizade, brincadeira, cumprimento das regras, têm sido aspectos que os pilotos e participantes têm evidenciado, mostrando que, também eles, estão dispostos a fazer do ResisTejo 2010 um campeonato de referência.


Só nos falta tempo para uma coisa. Mais "comes" e "bebes". De tal forma se sente a falta que para o próximo ano estou a pensar alterar os regulamentos, obrigando a uma paragem nas boxes para reabastecimento. Não será do veículo, claro está, mas do piloto e respectiva equipa que terão de "reabastecer" com duas "jolas" antes de continuar a prova. É claro que com reabastecimentos assim podem acontecer coisas destas:


terça-feira, 7 de dezembro de 2010

InterClubes 1:28 - Campeonato Grupo C

Com a realização da quarta prova do InterClubes 1:28 - Campeonato Grupo C iniciou-se a "segunda volta" deste disputadíssimo campeonato.

A prova decorreu novamente no AESlot Club e, como tal, esperava senão repetir a vitória da primeira prova, pelo menos garantir uma classificação entre os três primeiros que me permitisse subir uns "degraus" na classificação geral, após os dois descalabros que foram as provas do SCCL e do Speed SlotCar Mafra. Além disso, também tinha de esperar que os meus directos adversários tivessem problemas semelhantes aos que eu tive nas referidas provas. É que isto também tem uma dose de sorte e o azar tem de bater à porta de todos... ou melhor dizendo: ou comem todos ou há moralidade! (um provérbio que nos últimos anos tem sido a máxima de muita gente bem colocada neste país).


Embora ocupasse a sexta posição da geral, acabei por correr na manga dos pilotos habitualmente ditos "mais lentos" (pois, pois), para facilitar a corrida a outros companheiros que partilham a mesma montada. Tal facto obrigou-me a andar ao ataque desde o início da prova para prever qualquer assalto às primeiras posições dos meus adversários que iriam correr a seguir. Tentei impor um andamento muito vivo, sendo seguido de perto pelo Luís Tavares, pelo José Ribeiro e pelo Joaquim Ramalho. O andamento imposto, sem saídas de pista, levou-me a realizar 230 voltas e a vencer a manga.

Bastava-me, então, esperar pela manga seguinte e observar os meus adversários directos, nomeadamente o Davide Santos, o Luís Lopes, o Paulo Soares, o Carlos Antunes e o Fernando Santos.


Logo no início da manga o Luís Lopes ficou fora de combate, perdendo algumas voltas por avaria mecânica. O Paulo Soares também teve alguns problemas e cedo reparei que não tinha andamento para se chegar à frente. O Fernando Santos ia fazendo uma prova à sua maneira, sempre em busca da volta mais rápida mas com algumas evitáveis saídas de pista. Apenas o Davide Santos e o Carlos Antunes mostravam possibilidades de me ultrapassarem na classificação final. Cedo percebi que o Davide iria, finalmente, fazer jus à sua posição de líder no campeonato e averbar a sua primeira vitória. Quanto ao Carlos Antunes as coisas estavam mesmo taco a taco com uma ligeira vantagem da minha parte à entrada da última calha em que o Carlos tinha de fazer 39 voltas para me ultrapassar. E não é que fez mesmo!


Assim, acabei por realizar o terceiro lugar final que me permitiu subir um lugar na classificação geral.

Este campeonato tem-se revelado verdadeiramente fabuloso no que toca à disputa de lugares e à competição. Os chassis da PN Slot podem ser básicos, podem até empenar ou vir tortos, mas que dão provas interessantes lá isso dão!

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

São vários os campeonatos em que estou a participar. Um deles por equipas, o ResisTejo 2010, que também organizo, e outros individuais, como sejam o InterClubes 1:28 - Campeonato Grupo C, o Troféu Lola T290 e o Campeonato de Rallies do Speed SlotCar Mafra.



Quanto ao ResisTejo 2010 realizou-se, no passado dia 13 de Novembro, a segunda prova na pista do AESlot Club. À semelhança da primeira prova esta decorreu em ambiente fantástico de amizade. respeito e competição.
















Integrados na primeira manga, que incluia os últimos classificados da prova anterior, a minha equipa, desta vez constituída por mim próprio e pelo Davide Santos, tudo fez para se chegar aos lugares cimeiros. Tal revelou-se uma tarefa inglória, uma vez que nos quedámos por um sétimo lugar final que implica que continuemos na segunda metade da tabela classificativa. Vamos ver se na próxima prova conseguimos ganhar mais uns pontos que permitam uma subida na classificação final. A vitória foi para a equipa da RGP Slot Center que, desde cedo, a começou a construir.

O InterClubes 1:28 tem revelado campeonatos e corridas altamente disputados. A prova disso foi a última corrida que se realizou no Speed SlotCar Mafra. Não tendo o carro mais rápido em pista, conseguia, mesmo assim, fazer tempos e voltas que me permitiam consolidar uma posição nos três primeiros classificados da prova e do campeonato. No entanto, como no InterClubes 1:28 - Campeonato Grupo C temos visto cada vez mais um campeonato semelhante à realidade da escala 1:1, com pilotos a discutirem ao metro uma melhor posição, na última calha a cerca de dois minutos do final da prova e a lutar pela terceira posição final, levei um toque que correspondeu a uma saída de pista e ao consequente "choque" com outro concorrente que seguia atrás. Este acidente provocou problemas de alimentação no meu carro, nomeadamente um mau contacto das patilhas com a calha, que levou a que perdesse tantas voltas que de terceiro quase garantido caí para décimo-sexto. Enfim... acho que isto são corridas de automóveis!


O Troféu Lola T290 é  mais uma sequência de provas de baixo custo que o AESlot Club tem vindo a promover para os seus associados e demais participantes.


Recorrendo ao pequeno, barato, mas muito interessante modelo da Sloter, vendido a preço de saldo numa conhecida superfície da região de Lisboa, com um regulamento suficientemente restritivo para impedir grandes "invenções" ou andamentos muito dispares, mas abragente para permitir um comportamento interessante, as corridas (já se realizaram duas) têm-se revelado uma enorme fonte de divertimento.


Neste momento lidero o troféu com uma vitória na primeira prova e um terceiro lugar na segunda. Os meus "adversários" já começaram a fazer o trabalho de casa e, certamente, as próximas provas vão ser muito disputadas.


No que respeita os rallies desloquei-me uma vez mais ao Speed SlotCar Mafra para correr no segundo rally do campeonato proposto pelo Clube de Mafra.




No primeiro, o Rally de Mafra, corri em Clássicos 1:32, onde obtive um quinto lugar, em Grupo N, ficando em quarto, N-GT 1:32, com sexto lugar, e WRC 1:24, com um quarto lugar final que correspondeu ao quarto lugar da classificação geral.




De notar que, ao que saiba, este foi o rally de estreia do novo Porsche 911 GT3 da NSR que correu absolutamente de caixa no sentido de aferir das suas reais possibilidades em competição. Não me parece que tenha dado má conta de si. Uma melhor afinação do conjunto, que passará pela montagem de jantes mais pequenas com pneus traseiros mais adequados e performantes, o rebaixamento da frente com a afinação por parafuso do eixo dianteiro, a substituição da trnasmissão por uma mais adequada e a montagem de um kit de suspenções para o berço, certamente tornará este modelo muito competitivo capaz de lutar de igual para igual com os mais utilizados pelos pilotos neste momento.



No segundo rally, o Rally da Tapada, decidi correr em todas as classes para as quais tinha carro. Foi por isso que decidi estrear o meu já antigo Lancia Stratos da Team Slot na classe de Históricos, tendo sido o único participante. Também corri em Clássicos 1:32, primeiro lugar, S1600, segundo lugar, Grupo N, segundo lugar, N-GT 1:32, terceiro lugar, 1:28, único concorrente, WRC 1:24, segundo lugar.



















Deixo uma nota à margem relativamente à classe 1:28. Desde o início que o Speed SlotCar Mafra tem promovido muitas corridas de 1:28 com o chassis PN-Slot. Uma vez que agora decidiu fazer uns rallies de vez em quando, pareceu natural criar uma classe de 1:28 que permitisse a inclusão dos modelos já existentes e propostos pela Ninco e de outros com o chassis PN-Slot, neste caso para se estudar a possibilidade destes chassis em rally. Por isso, o regulamento para rally 1:28 do Clube de Mafra permite que practicamente todas as carroçarias de 1:28 de modelos GT ou rally possam correr (exceptuando modelos como os Grupo C, por exemplo). Eu corri com um Mosler da TRP (que eu saiba o Mosler nunca fez nenhum rally, mas não faz mal...) que foi uma agradável surpresa, fazendo tempos verdadeiramente extraordinários e demonstrando uma segurança em pista muito equilibrada. Os troços não tinham muitos altos e baixos ou saltos o que se revelou uma vantagem para estes chassis. Em caso de pistas mais exigentes a estes nível, não parece ser uma aposta viável pela dificuldade que terá em passar determinados obstáculos e que decorre, por exemplo, da não regulação da altura ao solo e de não ter um patilhão basculante. Apesar de tudo, revelou-se um chassis muito divertido de pilotar.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Ponto da situação

Já há algum tempo que não vinha aqui partilhar as minhas "vistas". De facto muita coisa aconteceu desde a última publicação.

Destaco apenas quatro acontecimentos que, acho, me merecem maior atenção: a segunda prova do InterClubes 1:28 - Campeonato Grupo C, a primeira prova do ResisTejo 2010, o Rally Mafra, primeiro rally "a sério" realizado pelo Speed SlotCar Mafra, e o falecimento do João Costa, amigo e companheiro dos slots.

Começo exactamente pelo último triste acontecimento porque acho que o João merece esta singela homenagem pelo homem que foi (e quem o conheceu sabe do que estou a falar) e pelo companheiro que sempre mostrou ser. Eu não via o João como o representante (ou funcionário, como ele dizia que era) da Ninco em Portugal. Penso que esse foi um papel que ele representou com muita dignidade e dedicação. Eu via-o como mais um de entre nós que participava numas provas e que tentava, tal como outros, dar uma dimensão mais respeitável ao nosso hobby. Tinha a possibilidade de conseguir alguns apoios para eventos e tinha a ombridade de comunicar, enquanto "rosto" da Ninco em Portugal, com os slotistas de uma forma muito próxima. Irá fazer muita falta; alguns projectos, provavelmente, irão ficar na gaveta.

Até sempre, João.

Mas falando de coisas mais alegres, passemos aos "carrinhos".

A segunda prova do InterClubes 1:28 - Campeonato Grupo C, decorreu no SCCL e contou com a presença de dezasseis pilotos que levaram as suas máquinas para a pista com intenções de fazer valer os seus atributos.

À semelhança da primeira prova, esta foi muito disputada, com andamentos muito semelhantes entre os diferentes competidores. Fernando Santos acabou por averbar uma vitória, superiorizando-se a alguns leões da casa.

No que me respeita, quedei-me por um sétimo posto, fruto de algumas saídas e, também, alguma desconcentração. Perdi o primeiro lugar na classificação geral para o Davide Santos e encontro-me em segundo em conjunto com o Paulo Soares, a um ponto do líder.

No dia 9 de Outubro decorreu, também no SCCL, a primeira prova do "meu" campeonato: ResisTejo 2010.

Com a presença de catorze equipas inscritas, recorrendo aos modelos Daytona Prototypes propostos pelo fabricante Sideways by Racer e equipados com motores Sloting Plus Speed 2, o campeonato tem esta edição o apoio do distribuidor papponni.
Esta primeira prova decorreu num ambiente de amizade entre todos os participantes, quer os mais antigos e reincidentes quer os que pela primeira vez participavam num evento de alguma dimensão e que se mostraram perfeitamente integrados. A verdade é que o facto de não sermos muitos os praticantes do nosso hobby facilita o conhecimento de todos e possibilita a construção de belas e boas amizades, apimentadas, por vezes, por salutares disputas de "ideias" e corridas que mais não servem do que para estreitar, ainda mais, os laços já existentes.



Nesta terceira edição do campeonato atingiu-se, creio, a maioridade. A título organizativo a "máquina" está montada e usufrui da colaboração de todos os participantes. A título competitivo as equipas e os pilotos revelam andamentos muito próximos o que é bom para a competição e, sobretudo, para o divertimento.

A vitória foi para equipa da casa SCCL / Proslotcars.com, seguida da Adrenaline da equipa SCCL Sport.
A minha equipa, AESlot Club Racing quedou-se por um modesto décimo lugar, resultado que se deve a problemas de transmissão que impediram uma melhor classificação.



Mais informações e resultados em http://resistejo.webs.com/.

Quanto ao Rally Mafra, primeira prova oficial do campeonato de rallies proposto pelo pequeno clube de Mafra e, justiça lhe seja feita, pelo seu mentor Victor Tiago, decorreu de forma bastante agradável, tanto no que respeita o ambiente como a competição.
Cerca de dezoito pilotos compareceram à chamada, correndo um total de cinquenta e oito carros o que é muito bom para uma estreia.




Eu corri em Clássicos 1:32 com o meu BMW M1 e consegui ficar em quinto lugar; no Grupo N, com o meu Punto Abarth, fiquei em quarto; em N-GT 1:32 estreei o novíssimo Porsche 911 GT3 RS da NSR e, levando-o completamente de caixa (apenas a relação foi mudada de uns impossíveis 14/31 para uns bem mais agradáveis 11/32), consegui ficar em sexto; em WRC 1:24, com o meu Peugeot 206 WRC, fiquei em quarto.
Foi uma tarde bem passada, com muita conversa, muito divertimento e muita competição.



Espera-se o próximo.

sábado, 16 de outubro de 2010

Rally de Portugal Histórico 2010

Realizou-se entre 12 e 16 de Outubro o V Rally Histórico de Portugal.
Contando com a presença de inúmeros pilotos de diferentes nacionalidades, a edição deste ano desenvolveu-se ao longo de percursos variados que incluiram passagens pelo Estoril, Figueira da Foz, Arganil, Viseu, Régua, Lamego e Leiria.



Não podendo acompanhar de perto algumas das especiais deste rally, acabei por assentar praça na manhã de sábado junto à estação dos correios do Estoril para ver a última especial desta edição.



Valeu bem a pena ver modelos tão variados como um belíssimo Mercedes 300 SL de 1955, uma bateria de Alfa-Romeo Giulia ou ainda BMW 2002 e 635, Citroen DS, Audi Quattro, Porsche 911 S, 944 Carrera GT, 2.7 RS, Renault Gordini, Abarth 1000, Ford Escort RS 1800 e 2000, etc.



Nada como perder algum tempo a ver os vídeos que abaixo ponho e que mostram todos os carros que correram esta especial.

Vídeo 1
Vídeo 2
Vídeo 3
Vídeo 4
Vídeo 5
Vídeo 6

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Sortida a Alenquer

Dia chuvoso o último domingo, dia 2 de Outubro, aquele que me levou a Alenquer, tão bem denominada de Vila Presépio, para a inauguração, na Liga dos Amigos de Alenquer, dos troços de rally da Cartamotorsport.

O que salta imediatamente à vista quando chegamos ao local, bem no centro histórico de Alenquer, mesmo juntinho ao belo edifício dos Paços do Concelho, é a beleza extraordinária da paisagem. Mesmo com chuva e cinzento, o dia permitia observar até bastante longe e concluir que, num dia de céu azul, ainda será mais bonita.

A Liga dos Amigos de Alenquer fica num edifício antigo, de bela traça tradicional, e com aquele ar de agremiação cultural local com muitas histórias para contar. À semelhança de muitas que infelizmente foram desaparecendo das nossas cidades, vilas e bairros.

No piso superior do edifício, o nosso incansável companheiro José Carta, montou dois troços de rally bastante técnicos que iriam ser o palco para a competição inaugural do espaço.


A lista de inscritos, com bastantes jovens e alguns estreantes, tinha alguns dos nomes mais "sonantes" do panorama dos rallies junto ao nosso Tejo. Era, por assim dizer, uma lista que intimidava o recente praticante (onde me incluo por só agora ter começado a dar mais atenção às "curvas" e aos "saltos"). 

Saído de uma desastrosa participação no último rally no OSC, encarei esta prova com alguma apreensão. Escolhi como modelos o BMW M1 para a categoria de Clássicos 1:32, o Punto Abarth para o Grupo N e o Peugeot 206 WRC para o WRC 1:24.


Contrariamente ao que estava habituado, foi a Organização que decidiu qual a ordem das classes a participar. Assim, começamos pelos 1:24, indo depois para os Clássicos e terminando com os Grupo N.

A prova de WRC 1:24, com dezassete carros, correu-me melhor que esperava, ainda por cima considerando o facto de perder algum tempo por motivos de excesso de aderência dos pneus o que levava o carro a levantar as patas em curvas mais apertadas e implicava alta concentração. Um quinto lugar final excedeu as minhas expectativas.


Quando passei para os Clássicos 1:32, e já um pouco mais confiante, tentei tirar o máximo partido do comportamento do carro e alcançar um resultado digno de registo. Não gorei as minhas expectativas, uma vez que consegui ficar em quarto lugar.

Com o Grupo N, e sabendo que o meu Punto Abarth é bastante rápido e seguro, apostei ainda mais e imaginei, ao fim da primeira passagem do primeiro troço, que conseguiria fazer ainda melhor, visto os meus tempos serem muito semelhantes aos tempos de referência dos pilotos mais consagrados. Infelizmente, numa das secções do segundo troço, precisamente uma em que a pista fazia um desnível, o carro insistia em sair de calha e, por causa disso, quedei-me por uma décima segunda posição final.



Os justos vencedores de cada uma das categorias foram Pedro Menezes, Miguel Ribeiro e Serrão de Faria em WRC 1:24; Pedro Figueiras, João Cavaco e Pedro Menezes em Clássicos 1:32; Pedro Figueiras, Pedro Menezes e Paulo Campos em Grupo N.

Foi um dia bem passado. Corremos, conversámos, comemos uma belíssima sopa da pedra e fomos magnificamente recebidos pelos anfitriões.

video