domingo, 28 de fevereiro de 2010

Rally da Suécia - OSC

E lá fui a caminho de Torres Vedras fazer mais um rally ao Oeste Slot Center.

Desta vez tratou-se do Rally da Suécia como não podia deixar de ser, repleto de neve.

Elegi os mesmos carros que levei no fim-de-semana passado, tão só porque gostei de andar com eles e também porque não tive tempo de preparar outros. Ainda fiquei a olhar para um Lancia 037 igualzinho ao que o Isaque Avelino levou na semana passada, mas depois tive pena de o enfarinhar todo.

Não tenho a mínima ideia da minha posição em cada uma das categorias em que corri: clássicos (com o meu muito lento Peugeot 205 T16), Grupo N (com o nervosinho Peugeot 207), Ninco WRC (com o Citroen C4 mais parecido com Grupo N) e WRC 1:24 (com o Peugeot 307). Tenho a sensação, no entanto, que o facto da pista estar mais escorregadia prejudicou um pouco a minha performance. Por isso estou curioso para ver os resultados finais.

Gostei, sobretudo de ver o Fiat 131 Abarth 1:24 que o Luís Cardoso levou. O carro era um espectáculo de conduzir. Apenas com tracção traseira, andava mais de lado que de frente mas via-se que deleitava o seu feliz proprietário e piloto. Tenho uma carroçaria dessas e, assim que tiver oportunidade, vou montar um para mim.
Deixo ainda os links para mais umas fotos e uns clips colocados no youtube, chamando a atenção, exactamente, para aquele que mostra o 131 Abarth em plena prova.


http://www.youtube.com/watch?v=I0tkHgjKaxA

http://www.youtube.com/watch?v=6-lRNkwGAd4

http://www.youtube.com/watch?v=ZFcZzWs1AKk
http://www.youtube.com/watch?v=dwP5U3WnL7Y

http://www.youtube.com/watch?v=kZEigKw8P-4

http://www.youtube.com/watch?v=mfKS_JIGmgk
http://www.youtube.com/watch?v=FVR2I6N55d4

http://www.youtube.com/watch?v=wteBUmedUks
http://www.youtube.com/watch?v=g294WbHQnIA

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Rally de Monte Carlo - Oeste Slot Center

Ontem fui realizar o primeiro rally que o nosso amigo e companheiro Emílio Domingos organizou nas suas novas instalações em Torres Vedras.

Quem me conhece, sabe que eu gosto sobretudo é de velocidade. Mas tenho de confessar que me divirto bastante num rally, principalmente na escala 1:24 que dá um verdadeiro prazer pilotar por sinuosos traçados, limpos ou sujos.

Em primeiro lugar, quero discorrer algumas palavras  sobre o novo espaço OSC. É agradável, amplo e luminoso e a forma como o Emílio e a Paula me recebem fazem-me sentir em casa. Os troços, repletos de "neve", em quantidade de três, eram técnicos e com muito boa condutividade de corrente, fruto, creio, de se utilizarem apenas calhas da Ninco e do cuidado que foi posto na sua construção/montagem.

Em segundo lugar, a preparação da prova. Andei, nas semanas anteriores, a olhar para as prateleiras para ver que modelos podia utilizar nesta prova, sem haver necessidade de grandes e complicadas preparações (ainda por cima não dominando eu muitos dos truques conhecidos de pilotos mais frequentes). 

Para a escala 1:24 a escolha foi fácil: tenho dois WRC, um Peugeot 206 com um chassis da MSC, que não me apetecia nada meter na "neve", e um Peugeot 307 com um chassis Avant Slot. A escolha incidiu neste último que foi, assim, equipado com umas jantes e pneus da PKS para enfrentar com mais à vontade o rigor dos troços monegascos.

Para a escala 1:32 decidi-me por correr em Clássicos, Grupo N e Ninco WRC. Para clássicos utilizei finalmente e pela primeira vez um Peugeot 205 T16 da Spirit, decoração Gauloises, que já há anos "habitava" o meu espólio à espera de uma oportunidade para demonstrar as suas potencialidades. Olhei bem para ele e conclui que o melhor mesmo era deixá-lo ir de "caixa", montando um motor NC5 e uns pneus PKS nas jantes de alumínio que equipam o modelo originalmente. Para o Grupo N decidi levar à sua primeira prova o meu Peugeot 207 da Avant Slot. Montei um motor NC5, umas jantes da Sloting Plus e uns pneus PKS, deixando a transmissão de origem. Para o Ninco WRC peguei num recente Citroen C4, retirei-lhe o interior, montei uma bandeja e vidro de lexan (como permitia o regulamento), troquei os amortecedores da frente para a traseira e vice-versa. Ainda inseri uns eixos calibrados e umas jantes de 16', ambos da Ninco, deixei-lhe o motor (NC5) com pinhão de 10 e uma cremalheira de 26 da Sloting Plus. Optei por não aligeirar o chassis (como permitia o regulamento). Em vez disso coloquei-lhe cerca de uma grama de cada lado para lhe dar alguma estabilidade.

Quanto à prova, propriamente dita, decidi começar com o carro que considerava mais lento. Exactamente o Clássico Grupo B Peugeot 205 T16. Não estive longe da verdade. O carro arrastava-se pelo traçado, um pouco saltitão, com muito pouca tracção à frente. Os tempos não saíram e, quando reparei, estava em último da geral. Serviu apenas para conhecer os truques das pistas e para tentar fazer melhor com as próximas classes.

A seguir levei para a pista o Grupo N Peugeot 207. Tenho de confessar que foi uma agradável surpresa ver e pilotar este carro. Tracção conveniente, nem demais nem de menos. Velocidade e estabilidade muito boas. Ora estes aspectos resultam em confiança por parte do piloto que cada vez pretende fazer melhor e os tempos começaram a sair. No final, surpresa das surpresas... estava na frente da classe, acima de pilotos bem mais conceituados e experientes do eu.

Foi a vez de experimentar o Ninco WRC Citroen C4. Com a confiança no máximo, fruto da boa prestação no Grupo N, tentei fazer ainda melhor com este. Logo de início senti que tal não era possível, pois o patilhão, que não tinha sido devidamente "tratado", prendia um pouco a frente do carro, limitando a sua velocidade em recta e as entradas nas curvas. Apesar disso, consegui fazer os três troços sem sair uma única vez e posicionar-me em quinto lugar na classe.

Deixei para o fim o 1:24 para, assim, poder aproveitar o melhor conhecimento dos troços. De facto, ver evoluir um 1:24 pelos belos troços cheios de "neve" é uma visão que nada tem a ver com os 1:32. Os carros "enchem" a pista e têm um comportamento muito similar à escala 1:1 e, talvez por isso, retira-se um imenso prazer da sua condução, independentemente do resultado final que se alcance. Com apenas uma saída na ponte do primeiro troço - uma escorregadela levou a frente a bater no "muro" - a prova também me correu bastante bem, à semelhança do que tinha acontecido com o Grupo N. No final encontrava-me na liderança com um segundo sobre o meu amigo Luís Santos que também pilotou um carro idêntico.

Para terminar, experimentei um X Slot da Ninco. Tratava-se de um Ferrari F430 preparado pelo Emílio que evoluía com o à vontade possível, considerando que se tratava apenas de um tracção traseira. Valeu pela experiência. Além do mais, não sei que resultado alcancei nesta classe.

Uma palavra final para os Jaguares que  José Pedro Gil, o Mário Rosas, o Eduardo Jorge (que tive o prazer de conhecer pessoalmente) e o Rui Ramos levaram a Monte Carlo. Belaos modelos que não deram problemas de travões nem tiveram chatices de sobreaquecimentos. Os Big Cats são máquinas intemporais que decoram qualquer rally ou circuito por onde passem com uma pitada de realeza que muitos dos outros, mais plebeus, não têm.

Também gostei de ver os Lancia que o Isaque Avelino e o Paulo campos levaram a este Monte Carlo. O primeiro com um belo 037 da Fly, o segundo com um extraordinário e "luminoso" Delta S4 da SCX.

Vou começar a preparar o próximo rally. A ver se consigo fazer melhor.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Novidades Avant Slot

Algumas boas novidades do fabricante espanhol são propostas para este ano. Além de novas decorações dos já conhecidos Pescarolo e Peugeot 908, aparecerá a primeira do Porsche RS Spyder.


A Avant Slot ainda nos propõe um Porsche 911, um Subaru WRC, um Mitsubishi EVO e um Mitsubishi Pajero.

Para terminar, uma proposta muito interessante: um Ford RS200 1:24

 
Fotos retiradas do site www.slotcarillustrated.com

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Novidades Slot.it

Um dos fabricantes preferidos dos slotistas lançou uma série de novidades que, certamente, irão fazer parte das malas e colecções dos praticantes.

É o caso de parafusos métricos e as novas evoluções de chassis para modelos da marca.


A nível de carros já se encontra em venda o novíssimo Chaparral 2E e o belíssimo Mazda 787B, vencedor de Le Mans, que já faz parte da minha colecção.

Ao longo deste ano irão sair outros modelos que, pela sua representatividade, se revelam muito interessantes.

É o caso do Nissan R390 GT1 3.º classificado em Le Mans em 1998, do Porsche 956C vencedor em 1985 e dos Jaguares XJR12 2.º e 3.º classificados em 1991.

 
 


Também está previsto mais um Grupo C, um Toyota 88C, e um Ford GT40, certamente um rival dos clássicos da NSR.

Novidades Ninco

O reputado fabricante de slotcars lançou o seu catálogo de produtos para 2010.

Propõe-nos algumas novidades interessantes, como seja aquela que, em minha opinião, vai agradar à maioria dos slotistas: um chassis com bancada amovível.

Também o desenho de jantes me parece muito interessante. Além disso, a proposta de lançamento do Lamborghini Diablo, na série de entrada Ninco 1, vai decorar algumas das pistas nacionais.

Siga o link, inserido no título desta mensagem, para aceder ao ficheiro zip com o catálogo completo.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Da questão da realidade do slot

A publicação de um artigo na revista Topos & Clássicos deste mês, escrito pelo nosso companheiro Mário Rosas que pretendeu dar uma visão independente da forma como o nosso hobby tem evoluído ao longo dos últimos três anos, foi sujeito a interpretações que ultrapassam grandemente o alcance das suas palavras. De facto, o autor demonstra que a existência de pessoas com boa vontade em organizar eventos, campeonatos ou provas de slot individuais, deve se encarada como uma mais valia e aproveitada por todos em defesa do desenvolvimento da modalidade.

A organização do Memorial Carpinteiro Albino e a fundação da Academia Slot Clube, referidas no artigo, são exemplos importantes a considerar: o primeiro porque teve a "ousadia" de organizar uma prova de rally que passou por muitos dos locais onde praticamos; a segunda porque está imbuída de um espírito que contagia quem participa nas provas que organiza. No entanto, nem o Memorial nem a Academia "inventaram" o formato. Já antes outros companheiros organizaram, e continuam a organizar, provas e campeonatos com a mesma abrangência e muita visibilidade que alguns agora parecem querer esquecer. Só alguns como exemplo: Ronda da Amizade, Slot Século XXI, Campeonato Interpistas Renault Clio Cup, ResisTejo, Regional de Rally. E depois temos os eventos que se caracterizam pelo seu aspecto único e anual e que, habitualmente, também têm grande adesão por parte dos praticantes: o Lisboa-Dakar, o Raid do Cartaxo, as 24 Horas do Porto.

Existe, porém, um aspecto que não podemos descurar: nenhum deste campeonatos ou eventos existia sem dois factores preponderantes: o primeiro, que é comum a todos, a carolice e boa vontade de alguns em organizá-los; o segundo, espaços por onde os campeonatos possam passar. E, claro, pilotos para tornarem esses campeonatos um sucesso.

Por isso, só da união entre os espaços e os organizadores poderá resultar algo de efectivamente positivo que contribuirá para o desenvolvimento da modalidade e para a existência de provas mais concorridas. E nada precisa ser "supra-pistas",como um companheiro afirmou num fórum que consultamos, nada necessita ser tão superiormente excelente que parece que não necessita dos outros para existir.

InterClubes 1:28 - Renault Mégane Trophy PN Slot

O AESlot Club, o Slot Car Clube de Lisboa e o Speed SlotCar Mafra, decidiram associar-se na organização de um campeonato interclubes, recorrendo aos chassis da PN Slot para a escala 1:28 (Grupo Z) e às carroçarias dos Renault Mégane Trophy da TRP Scale. Este troféu conseguiu o apoio de papponni, representante das marcas PN Slot e TRP Scale, entre outras, que contribui com prémios a sortear por todos os participantes que realizem, pelo menos, cinco das seis corridas previstas e do ResisTejo, que serve de plataforma de divulgação.

Três provas já foram realizadas, uma no SCCL, com 25 pilotos, outra no Speed SlotCar Mafra, com 21 pilotos, e a terceira no AESlot Club, com 22 pilotos. A grande adesão de pilotos a este troféu resulta, talvez, do formato escolhido para a sua realização. De facto, como os clubes envolvidos têm associados que têm benefícios próprios nas corridas e utilização de pista em cada um dos espaços, foi decidido, pelos responsáveis dos clubes, que todos os participantes apenas pagariam as inscrições, caso fosse necessário, aos clubes nos quais estão inscritos. Desta forma, mesmo que as corridas se realizem noutros espaços, não existe qualquer custo acrescido para quem tem modalidades de "tudo incluído" nas suas quotas.

Desportivamente, o troféu tem sido um êxito sem precedentes. Andamentos muito semelhantes têm criado corridas divertidas, onde a incerteza quanto à posição que cada um ocupa no final é a única garantia. Não existem vencedores antecipados e o pequeno número de voltas que separa os pilotos no final da corrida é prova desta extrema, mas saudável, competitividade.

Outro aspecto que tem sido uma constante (e já o ResisTejo tal acontece) é o ambiente de sã camaradagem que se tem vivido nas corridas. Muito convívio e muita conversa têm estreitado laços de amizade.

Um troféu de referência que, espero, se repita.

Luís Pedro Paula

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Aqui Estou

Aqui estou...


Comecei no mundo dos blogs quando decidi iniciar o blog do ResisTejo, um capeonato de Slotcars que organizo. Como entretanto construí um site especificamente para o campeonato, o blog ficou um pouco para trás.


Agora, com o início deste, pretendo partilhar alguns pensamentos à roda dos meus interesses e trabalho.


Vamos ver como sai.