segunda-feira, 4 de abril de 2011

Material variado para venda

Estou a fazer uma "limpeza" à minha garagem o que implica desfazer-me de algum material que já não uso ou até nunca usei.

Entrego em mão na zona de Lisboa ou envio pelo correio com portes a cargo do comprador.

Os interessados deverão enviar mensagem para lpedro.paula@gmail.com

Mitsubishi Dakar 2010


Modelo Novo, rigorosamente de origem. Pertence à coleção Dakar 2 da revista Mas Slot e não se encontra com facilidade no circuito comercial. Representa o modelo conduzido por Carlos Sousa.


Preço: 70,00


Audi R10 TDI Avant Slot


Modelo novo, rigorosamente de origem. Primeiro slot lançado pela Avant Slot. Pertence a uma edição limitada de 1000 exemplares, tendo o número 0641.


Preço: 30,00



Fonte de Alimentação digital Ninco N-Power (upgraded version)

Fonte com pouco uso. Estava ligada à minha pista caseira.

Preço: 30,00



Courage C60 Hobby Slot Racing

Kit formado pela carroçaria, em estado geral bom, e pelo chassis com berço de motor de caixa curta inline da Slot.it.

Preço: 15,00




Peugeot 406 Coupe Spirit

Modelo em muito bom estado. Com material de origem e motor Spirit SXXX.

Preço: 25,00


Porsche 911 GT1 98 FLY Racing


Modelo em muito bom estado, "desaparecido" das prateleiras das lojas há já muito tempo. Está com o material de origem, excepto pneus traseiros que são de outra marca (?).

Preço: 30,00


Suporte de Motor regulável com suspensão - MSC Competition


Para rally 1:24. Estado novo.


Preço: 16,95


Tampões para 1:24 - MSC Competition


Estado novo.


Preço: 4,15







Braço de guia basculante para chassis Plafit - MSC Competition


Estado novo.


Preço: 5,00





Suporte para motor - MSC Competition


Estado novo.


Preço: 4,90




segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

BMW M3 Scaleauto

Chegou-me às mãos a nova proposta da Scaleauto para as competições de 1:24: o BMW M3 GTR GT2.

Vem juntar-se aos modelos já existentes: o Porsche 911 GT3 Cup e o Porsche 911 GT3 RSR.

Este novo modelo vem competir directamente com o Porsche 911 GT3 RSR, uma vez que as cotas de largura dos eixos são muito similares. O Porsche Cup 911 GT3 Cup é substancialmente mais estreito e, portanto, terá mais dificuldade em encontrar em acompanhar os seus competidores mais largos.

Para já, a nova proposta da Scaleauto reduz-se a um modelo branco e em kit. O kit já vem com o chassis MSC 11 montado, mas precisa de um tratamento completo de carroçaria.

A carroçaria vem com todos os elementos para serem pintados e colados, permitindo uma decoração personalizada do modelo. Curiosamente, vem com dois "pilotos", um com capacete integral e outro com capacete de rally.


Tendo todos os elementos fabricados em plástico, a carroçaria apresenta-se com bastante qualidade, nomeadamente a nível do detalhe.

Optei por fazer uma decoração simples, inspirada num dos modelos que correm na realidade, com decalques impressos em casa e que, por isso, ficaram um "bocadinho" maiores que deviam... mas ninguém se importa, principalmente depois de uma ou duas corridas.


Depois de pintada e com todos os elementos colados, a carroçaria pesa um total de 71 gr, bem mais pesada que o kit branco do Porsche 911 GT3 RSR que pesa apenas 58 gr.



O chassis é o mesmo que equipa os anteriores modelos: o MSC 11. No entanto sofreu algumas melhorias: vem já equipado com rolamentos, trás o novo motor da Scaleauto SC-025 de 21,500 rpm e apresenta um novo sistema de ancoragem à carroçaria, mais comprido e resistente que o anterior.


Além disso, trás um patilhão universal, tanto para pista Carrera, como madeira ou Ninco, jantes de 23,5x10 à frente e 23,5x13 atrás, montando uns pneus de borracha.

A distância entre eixos é bem maior no BMW do que no Porsche. Tal facto implicará um comportamento distinto em pista.



Se considerarmos que relativamente ao Porsche 911 a única preparação que fiz foi dar um aperto geral ao chassis, montar uns rolamentos e umas rodas de espuma, o trabalho que tenciono fazer neste, antes de o levar para a pista, será exactamente o mesmo. Teremos, assim, um carro competitivo e divertido que dará corridas muito emotivas.




quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Campeonato de Rally Slot

Da parceria entre o AESlot Club e o Speed SlotCar Mafra vai resultar, entre outras provas de velocidade e rally, o primeiro campeonato de rally slot entre os utilizadores e sócios dos dois clubes.

Aberto a todos os slotistas que pretendam experimentar a emoção do rally slot, este campeonato irá decorrer ao longo de cinco provas. Em cada uma das provas os pilotos correrão em quatro classes à escala 1:32 já definidas: Clássicos, Grupo N, Grupo N-GT e Nissan 350 Z Challenge. É claro que também poderão correr noutras classes, especialmente as de 1:24, mas será sobre estas que vai incidir o campeonato.

A classe Nissan 350 Z Challenge tem o aliciante de utilizar um único modelo, igual para todos. Esse modelo será sujeito a sorteio no final entre os participantes do campeonato que tiverem realizado pelo menos 4 das 5 provas previstas.


Coube-me a mim preparar o referido modelo e é dessa preparação que aqui venho dar conta.

O fabricante do modelo é a Powerslot, sendo este referente a uma edição limitada a 1500 unidades, que corre na classe N-GT.

Vem equipado com jantes de plástico mas com o restante material calibrado e de aperto. O motor é o Powerslot vermelho, conhecido por ter bastante torque e um acentuado poder de travagem. Originalmente equipa este modelo uma relação de pinhão de 9 dentes e cremalheira de 26 dentes, além de uma bancada com suspensão de afinação trabalhosa: são quatro molas a fazer de amortecedor e é preciso tirar rebarbas ao plástico para facilitar o jogo da bancada.


A carroçaria pesa 24,3 gr e encontra-se bastante acima do peso mínimo de 20 gr.


Mesmo com a cremalheira de 26 dentes, o carro trava muito e revela uma saída de curva bastante violenta, o que poderá ser um problema principalmente para dedos menos experientes na pilotagem de rally.

Com o objectivo de tornar o modelo mais equilibrado e previsível, mantive o pinhão (basicamente porque não me apeteceu estar a desmontar o motor) e montei uma cremalheira de 23 dentes. O modelo ficou mais dócil na saída de curva e não perdeu muita travagem, ficou também mais fácil de pilotar.


Optei por montar uma jantes da Spirit, tanto à frente com atrás, de medida 16, com pneus de baixo perfil envernizados à frente e pneus Spirit raiados atrás (daqueles que equipavam os Peugeot 205 T16).


Também prendi o eixo da frente com dois parafusos para evitar um jogo excessivo.

De uma forma geral o modelo ficou bastante equilibrado, mesmo não sendo um vencedor nato na classe em que se insere. É, isso sim, um modelo agradável à vista e que dará um troféu muito interessante.

Existe um modelo vendido já com bancada anglewinder e lembro-me de, em tempos, ter visto nalguma loja online uma bancada powerslot anglewinder que custava uma fortuna. Será talvez uma forma de tornar este modelo mais competitvo.

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

InterClubes 1:28 - Campeonato Grupo C

Com início a 24 de Setembro de 2010 e final a 28 de Janeiro de 2011, o InterClubes 1:28 - Campeonato Grupo C foi o terceiro conjunto de provas organizado em parceria entre os Clubes de Slot da região de Lisboa: AESlot Club, Slot Car Clube de Lisboa e Speed SlotCar Mafra.
Ao longo de seis provas, três em cada um dos espaços, uma média de dezasseis pilotos lutaram pela melhor posição final, sempre envolvidos por um fantástico ambiente de amizade e respeito pelo próximo.
Foi, assim, a todos os níveis um campeonato fantástico, este que utilizou carroçarias da Kyosho e o versátil e simples chassis da PN Slot equipado com os motores Scaleauto SC-15, que tinham sobrado à maioria dos pilotos de outras "andanças slotísticas. Com três propostas de carroçarias no mercado, a maioria dos pilotos optou por correr com o Sauber Mercedes C9, havendo poucos Mazda 787B e ainda menos Porsche 962C. Isto deveu-se a dois motivos: em primeiro lugar o facto do Sauber Mercedes C9 constituir uma esplêndida relação chassis/carroçaria; em segundo lugar o facto de ser o modelo que se encontrava à venda em maior quantidade, sobretudo na oferta de carroçarias brancas, sem decoração.
No plano do ambiente vivido em todas as provas podemos afirmar que os pilotos participantes dos vários Clubes, encontraram nas provas o local certo para se dedicarem ao grande objectivo do nosso hobby: competição com divertimento, um escape para os problemas do dia a dia que cada mais nos assolam. Conseguindo, assim, estabelecer laços de amizade que têm como fundamento comum a forma de encarar o Slot Car de competição.

No plano desportivo, este campeonato, na opinião dos participantes, foi o mais emotivo em que participaram nos últimos anos. Não só pelo nível muito equilibrado das configurações escolhidas, mas também pelo nível muito idêntico dos pilotos.
Foram sempre corridas de "tirar a respiração", não porque os modelos andassem assim tanto, mas porque os pilotos discutiam ao metro a posição final.

Como constatação da afirmação anterior, observemos superficialmente os resultados das provas. Na primeira prova o vencedor e o segundo classificado ficaram separados por 17 metros e houve mais sete pilotos que terminaram com o mesmo número de voltas; na segunda prova oito pilotos terminaram na mesma volta; na terceira prova nove pilotos na mesma volta; na quarta prova oito pilotos na mesma volta; na quinta prova oito pilotos na mesma volta, incluindo primeiro e segundo, separados por 5 metros; na sexta prova nove pilotos na mesma volta, incluindo os três primeiros.
Enfim, corridas plenas de emoção e, sobretudo, muito divertidas.

Este equilíbrio que se observou nas provas acabou por ter consequências no Campeonato. O vencedor, Davide Santos, ficou em igualdade pontual com o segundo classificado, Carlos Antunes, pelo facto de ter alcançado uma vitória. O terceiro classificado, Luís Pedro Paula (este vosso bloguista), ficou em igualdade pontual com o quarto, Fernando Santos, e o quinto, José Ribeiro, exactamente pelo facto de ter obtido duas vitórias. Mais para baixo na tabela classificativa o sétimo e oitavo classificados, Luís Lopes e Luís Tavares, também ficaram em igualdade pontual. Os restantes classificados ficaram quase sempre separados pela diferença mínima.
Prevê-se agora a realização de duas resistências por equipas de seis horas de duração como corolário deste fantástico Campeonato e deste formato de sucesso.