segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

InterClubes 1:28 - Campeonato Grupo C

Com início a 24 de Setembro de 2010 e final a 28 de Janeiro de 2011, o InterClubes 1:28 - Campeonato Grupo C foi o terceiro conjunto de provas organizado em parceria entre os Clubes de Slot da região de Lisboa: AESlot Club, Slot Car Clube de Lisboa e Speed SlotCar Mafra.
Ao longo de seis provas, três em cada um dos espaços, uma média de dezasseis pilotos lutaram pela melhor posição final, sempre envolvidos por um fantástico ambiente de amizade e respeito pelo próximo.
Foi, assim, a todos os níveis um campeonato fantástico, este que utilizou carroçarias da Kyosho e o versátil e simples chassis da PN Slot equipado com os motores Scaleauto SC-15, que tinham sobrado à maioria dos pilotos de outras "andanças slotísticas. Com três propostas de carroçarias no mercado, a maioria dos pilotos optou por correr com o Sauber Mercedes C9, havendo poucos Mazda 787B e ainda menos Porsche 962C. Isto deveu-se a dois motivos: em primeiro lugar o facto do Sauber Mercedes C9 constituir uma esplêndida relação chassis/carroçaria; em segundo lugar o facto de ser o modelo que se encontrava à venda em maior quantidade, sobretudo na oferta de carroçarias brancas, sem decoração.
No plano do ambiente vivido em todas as provas podemos afirmar que os pilotos participantes dos vários Clubes, encontraram nas provas o local certo para se dedicarem ao grande objectivo do nosso hobby: competição com divertimento, um escape para os problemas do dia a dia que cada mais nos assolam. Conseguindo, assim, estabelecer laços de amizade que têm como fundamento comum a forma de encarar o Slot Car de competição.

No plano desportivo, este campeonato, na opinião dos participantes, foi o mais emotivo em que participaram nos últimos anos. Não só pelo nível muito equilibrado das configurações escolhidas, mas também pelo nível muito idêntico dos pilotos.
Foram sempre corridas de "tirar a respiração", não porque os modelos andassem assim tanto, mas porque os pilotos discutiam ao metro a posição final.

Como constatação da afirmação anterior, observemos superficialmente os resultados das provas. Na primeira prova o vencedor e o segundo classificado ficaram separados por 17 metros e houve mais sete pilotos que terminaram com o mesmo número de voltas; na segunda prova oito pilotos terminaram na mesma volta; na terceira prova nove pilotos na mesma volta; na quarta prova oito pilotos na mesma volta; na quinta prova oito pilotos na mesma volta, incluindo primeiro e segundo, separados por 5 metros; na sexta prova nove pilotos na mesma volta, incluindo os três primeiros.
Enfim, corridas plenas de emoção e, sobretudo, muito divertidas.

Este equilíbrio que se observou nas provas acabou por ter consequências no Campeonato. O vencedor, Davide Santos, ficou em igualdade pontual com o segundo classificado, Carlos Antunes, pelo facto de ter alcançado uma vitória. O terceiro classificado, Luís Pedro Paula (este vosso bloguista), ficou em igualdade pontual com o quarto, Fernando Santos, e o quinto, José Ribeiro, exactamente pelo facto de ter obtido duas vitórias. Mais para baixo na tabela classificativa o sétimo e oitavo classificados, Luís Lopes e Luís Tavares, também ficaram em igualdade pontual. Os restantes classificados ficaram quase sempre separados pela diferença mínima.
Prevê-se agora a realização de duas resistências por equipas de seis horas de duração como corolário deste fantástico Campeonato e deste formato de sucesso.

Sem comentários:

Enviar um comentário