quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Campeonato de Rally Slot

Da parceria entre o AESlot Club e o Speed SlotCar Mafra vai resultar, entre outras provas de velocidade e rally, o primeiro campeonato de rally slot entre os utilizadores e sócios dos dois clubes.

Aberto a todos os slotistas que pretendam experimentar a emoção do rally slot, este campeonato irá decorrer ao longo de cinco provas. Em cada uma das provas os pilotos correrão em quatro classes à escala 1:32 já definidas: Clássicos, Grupo N, Grupo N-GT e Nissan 350 Z Challenge. É claro que também poderão correr noutras classes, especialmente as de 1:24, mas será sobre estas que vai incidir o campeonato.

A classe Nissan 350 Z Challenge tem o aliciante de utilizar um único modelo, igual para todos. Esse modelo será sujeito a sorteio no final entre os participantes do campeonato que tiverem realizado pelo menos 4 das 5 provas previstas.


Coube-me a mim preparar o referido modelo e é dessa preparação que aqui venho dar conta.

O fabricante do modelo é a Powerslot, sendo este referente a uma edição limitada a 1500 unidades, que corre na classe N-GT.

Vem equipado com jantes de plástico mas com o restante material calibrado e de aperto. O motor é o Powerslot vermelho, conhecido por ter bastante torque e um acentuado poder de travagem. Originalmente equipa este modelo uma relação de pinhão de 9 dentes e cremalheira de 26 dentes, além de uma bancada com suspensão de afinação trabalhosa: são quatro molas a fazer de amortecedor e é preciso tirar rebarbas ao plástico para facilitar o jogo da bancada.


A carroçaria pesa 24,3 gr e encontra-se bastante acima do peso mínimo de 20 gr.


Mesmo com a cremalheira de 26 dentes, o carro trava muito e revela uma saída de curva bastante violenta, o que poderá ser um problema principalmente para dedos menos experientes na pilotagem de rally.

Com o objectivo de tornar o modelo mais equilibrado e previsível, mantive o pinhão (basicamente porque não me apeteceu estar a desmontar o motor) e montei uma cremalheira de 23 dentes. O modelo ficou mais dócil na saída de curva e não perdeu muita travagem, ficou também mais fácil de pilotar.


Optei por montar uma jantes da Spirit, tanto à frente com atrás, de medida 16, com pneus de baixo perfil envernizados à frente e pneus Spirit raiados atrás (daqueles que equipavam os Peugeot 205 T16).


Também prendi o eixo da frente com dois parafusos para evitar um jogo excessivo.

De uma forma geral o modelo ficou bastante equilibrado, mesmo não sendo um vencedor nato na classe em que se insere. É, isso sim, um modelo agradável à vista e que dará um troféu muito interessante.

Existe um modelo vendido já com bancada anglewinder e lembro-me de, em tempos, ter visto nalguma loja online uma bancada powerslot anglewinder que custava uma fortuna. Será talvez uma forma de tornar este modelo mais competitvo.

Sem comentários:

Enviar um comentário